16.11.10

Como um quebra-cabeça

Se o quebra-cabeça estiver sempre completo, que graça tem?!
Estamos sempre sendo moldados, perdemos partes, adquirimos partes novas, e enfim temos que renascer e continuar a caminhada.
Despedaçado é ruim eu sei. A pecinha que pula…ela parece ser importante pra você. O fato de ela não pular mais, deve lhe trazer uma tristeza imensa.


Sabe, tem pessoas em nossas vidas, que por mais que a gente queira que elas fiquem, elas simplesmente não podem ficar. O que nós devemos fazer é aprender a aceitar isso.

E olha, sem vingança quanto aos inteiros…eu nem estou inteirinho da silva, mas mesmo assim…vingança é tão…infantil.

4 comentários:

Karlinha Ferreira disse...

Geralmente estamos sempre em busca de mais, o ser humano é por si só insaciável.

Beijo,

Amei o post....

Érica disse...

Olá, achei teu blog no da Karlinha e resolvi curiari... e gostei ;)

olha, qual é a graça de estar "inteirinho da silva" a vida fica sem emoções e deiamos de procurar "peças" novas rs

e vingança.... é coisa de gnt mesquinha q não aproveita o bom da vida

bjO
gostei,tô seguindo...

Lily disse...

Oi, Fred!

Inteira nunca fui e isso sempre me incomodou. Há pouco tempo, isso começou a mudar. Estou tentando aceitar o fato de que em mim sempre haverá uma peça faltando. Sou um jogo de montar faltando peças, fazer o quê?

Beijos, moço!

Valéria Sorohan disse...

Tem sempre uma peça faltando, não é mesmo. Melhor que faltar um parafuso...rs